Novena a São José de Anchieta

Primeiro Dia

Oração inicial

São José de Anchieta, missionário incansável e Apóstolo do Brasil, abençoai a nossa Pátria e a cada um de nós. Inflamado pelo zelo da glória de Deus, consumistes a vida na salvação das almas, catequizando, instruindo, fazendo o bem. Que o legado de vosso exemplo frutifique novos apóstolos e missionários em nossa terra.

Professor e mestre, abençoai nossos jovens, crianças e educadores. Poeta e literário, inspirai os escritores, artistas e comunicadores. Consolador dos doentes e aflitos, velai por todos aqueles que mais necessitam e sofrem. Santificai as famílias e orientai os que regem os destinos do nosso Brasil. Através de Maria Santíssima, que tanto venerastes, iluminai os nossos caminhos, hoje e sempre. Amém.

Meditação

Consideremos vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.

José de Anchieta sempre procurou a vontade de Deus para si e para suas decisões. Podemos vê-lo ainda menino cuidar da irmãzinha paralítica em vez de ir brincar, obedecer aos pais e ir com o irmão para Coimbra, onde se formaria com brilho nos estudos.

Escolheu uma vida santa e pura em meio a tantas ocasiões de pecado no ambiente da universidade. Sua consagração a Nossa Senhora foi também uma escolha de coragem, como também foi corajosa sua escolha pela vida religiosa na jovem Companhia de Jesus.

Nunca teve dúvidas em obedecer a tudo e acima de tudo por amor a Cristo. Colocava-se por muito tempo em oração e aí recebia interiormente aquilo de que precisava para agir na vida conforme a vontade de Deus.
Na nova terra do Brasil, em pouco tempo Anchieta aprendeu a língua tupi, tornando-se um dos seus maiores professores, compondo até uma gramática e um livro de doutrina cristã, muito utilizado por seus colegas missionários – tudo para melhor realizar seu ministério de educar e catequizar com todo o empenho e amor.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça )

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Orações de reparação ensinadas pelo Anjo da Paz e por Nossa Senhora do Rosário em Fátima, Portugal.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Santíssima Trindade, Pai, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria!

Ó meu bom Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno; levai as almas todas para o Céu, e socorrei principalmente as que mais precisarem da vossa infinita misericórdia.

Oração final

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu Vos adoro e Vos dou graças, pelos benefícios que me fizestes. Peço-Vos por tudo o que fez e padeceu o vosso servo São José de Anchieta, que aumenteis em mim a fé, a esperança e a caridade e Vos digneis conceder-me a graça que ardentemente desejo. Amém.

Oremos: Ó Deus, o vosso servo, São José de Anchieta, brilhou no mundo pela sua corajosa fidelidade à vossa vontade. Dai-nos, por intercessor tão amigo e a exemplo de seus passos, podermos caminhar até a verdadeira vida. Por Cristo nosso Senhor, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém.

Segundo Dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.
Anchieta sentiu o desejo de servir a Cristo com sua vida em total doação. Na universidade em Coimbra, esses pensamentos o atingiram, e, vendo colegas seus que eram religiosos jesuítas, sentiu no coração o desejo de seguir a mesma vida que eles.
Entrou ainda adolescente na nova ordem. Porém, logo adoeceu de um mal grave que lhe deformou as costas e ficou preocupado com a possibilidade de não poder seguir adiante. Foi quando apareceu a oportunidade de ser mandado ao Brasil, uma terra ainda desconhecida e misteriosa, cheia de desafios e perigos.
O que ele estava fazendo por Cristo e o que poderia ainda fazer? Talvez ao menos servir de simples catequista entre os índios e morrer pela fé, como era seu desejo. O fato é que, junto com outros companheiros também doentes, foi enviado ao Brasil em 1553, aqui chegando depois de uma viagem muito difícil. Ainda no navio, servia e cozinhava para os irmãos que sofriam com a viagem, já fazendo tudo para todos.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça )

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

Terceiro Dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.
Desde cedo, Anchieta se viu diante de perigos para sua alma.

Uma dessas vezes aconteceu em 1563, quando o jovem Anchieta, ainda antes de ser padre, foi com Pe. Manuel de Nóbrega até os índios tamoios, onde hoje é Ubatuba (litoral paulista), com a finalidade de se oferecerem como reféns dos índios, arriscando mesmo serem mortos e devorados, tudo para conseguirem a paz entre portugueses e índios.

Enquanto ficou preso entre os tamoios, Anchieta foi muitas vezes “presenteado” pelos índios com mulheres de sua tribo, ao que recusava com firmeza, explicando aos índios sua renúncia e convicção por causa do Reino dos Céus. Anchieta tinha então 29 anos. Vemos que não só corria risco de vida, mas também riscos para sua alma, tendo de dominar os impulsos que a muitos fariam pecar, até por estar sozinho e desamparado em meio a uma terra e a uma gente inimiga.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça)

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

Quarto dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.

Em toda a sua vida, especialmente no Brasil, Anchieta sempre seguiu como servo bom e fiel seu Senhor e Rei. Chegando à Bahia em 1553, logo contemplou o rebanho que iria apascentar por 44 anos até sua morte, sem jamais voltar à Europa.

Faltava tudo na nova terra. Anchieta se vestia pobremente apenas da batina, andava descalço ou com sandálias que ele mesmo fabricava. A pobreza e o trabalho foram seus companheiros.
A obediência foi outra virtude constante no nosso santo. Sempre obedeceu aos superiores sem reclamar, como se o próprio Cristo lhe desse a ordem. Ia aonde seus superiores o mandavam. Assim, subiu com os irmãos para o planalto em 1554 e aí ajudou a fundar a pequena São Paulo.

Conta-nos o próprio Anchieta: “As coisas necessárias para nosso sustento, conseguimos com o trabalho de nossas mãos, como o Apóstolo São Paulo, para não sermos pesados a ninguém”.
Tornou-se conhecedor de tudo um pouco: servia como cozinheiro, farmacêutico, professor dos seminaristas e das crianças, construtor de vilas e de estradas, escritor da nova terra em suas cartas, o que o transformava em ótimo jornalista.

Para melhor servir ao Senhor e aos irmãos, dominou a língua tupi, demonstrou sua sensibilidade e arte nos poemas que compôs, sobretudo em honra de Maria Santíssima.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça)

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

Quinto Dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.

Podemos dizer que toda a vida de Anchieta foi lutar sob a bandeira de Cristo Senhor, servindo a ele totalmente. Escolheu servir Jesus desde menino na cidade onde nasceu, nas ilhas canárias.

Nesse serviço, dele diz Pe. Armando Cardoso: “Seu amor aos índios não media sacrifícios. Quando ele conta em suas cartas, informações, poemas, o difícil trabalho dos jesuítas, é de si mesmo, sem querer, que ele conta. O Brasil foi uma das missões mais difíceis da Companhia de Jesus: parecia uma terra seca, que, trabalhada anos inteiros, não dava frutos”.

Lutando a serviço do grande Rei Jesus Cristo, Anchieta zelou incansavelmente pela vida e pela liberdade dos índios. Foi rigoroso para com todos os que maltratavam os índios. Do mesmo modo, reprovava os maus-tratos que os portugueses dispensavam aos indígenas.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça)

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

Sexto Dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.

O Padre Anchieta tinha muitas qualidades. Por isso, não muito depois de se tornar padre em 1566, ele foi indicado para ser superior dos jesuítas no Brasil.

Mas Anchieta não queria isso. Considerava mesmo uma provação ter de aceitar esse posto ainda que por obediência. Por isso, se encontrou em um verdadeiro horto, como seu Mestre. Como ele, também não afastou o cálice do desafio, mas bebeu-o até o fim.

A vida de um religioso muitas vezes tem momentos de horto, de agonia, como teve Jesus. Diz um escritor do tempo de nosso santo: “Posto no cargo, que aceitou com muito sentimento e angústia do seu coração, não mudou nada do seu andar comum e acostumado, nem para com os índios, aos quais sempre acudia a pé e descalço, todas as vezes que podia deixar as obrigações do seu ofício nem no tratamento de sua pessoa, que sempre foi abatido e baixo e não dava trabalho e seus irmãos”.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça)

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

Sétimo Dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.

Apesar da saúde abalada que sempre teve, fez de sua vida um “completar o que falta à Paixão de Cristo”, sobretudo quando piorou da doença, que se agravou com a idade.

Dizem pessoas de sua época: “Era humilde e caridoso com os enfermos onde quer que estivesse, com muito boa vontade e admiração de todos. E neste Colégio da Bahia era o melhor ajudante que o enfermeiro tinha em todo o serviço da enfermaria, levantando e deitando os doentes e, se era necessário para algum enfermo, cuidava dele com toda dedicação. Aconteceu outras vezes, estando na cama, levantar-se de noite, por falta de enfermeiro, e ir à cozinha fazer os xaropes e remédios e temperar a comida para os outros doentes, por sua própria mão”.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça)

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

Oitavo Dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.

Vamos ver algumas coisas que Anchieta fez e que trouxeram vida para os outros, sobretudo aos índios.

Foi o primeiro professor de São Paulo. Escrevia ele mesmo, até tarde da noite, as lições para cada um; dormia pouco, comia pouquíssimo; servia de médico e enfermeiro com muita habilidade; cozinhava, plantava, abria estradas (de São Vicente até o Planalto de Piratininga); construiu vilas por todo o litoral do Brasil, para proteger e ensinar os povos indígenas. Fundou colégios e hospitais, construiu igrejas e sobretudo, formou comunidades como um novo Apóstolo São Paulo. Escreveu muitas coisas: a poesia da Virgem; a poesia sobre as obras de Mem de Sá; os poemas sobre a eucaristia; os poemas sobre seus irmãos jesuítas que deram a vida por Cristo; as informações sobre os animais, as plantas, o clima e a terra do Brasil, e as obras de teatro que Anchieta fez para catequizar índios e brancos, de modo agradável e com muitos bons resultados.

Cuidava dos feridos na guerra, ministrava os sacramentos, pregava contra as injustiças; mesmo como superior sobrecarregado que era, sempre encontrava tempo para tudo, especialmente para os aflitos e doentes e, é claro, para seus queridos índios.

Lembramos o amor profundo desde a infância por Nossa Senhora, a quem se consagrou de corpo e alma e a quem dedicou o melhor de seu coração de poeta, nas praias de Ubatuba (litoral paulista), quando ficou refém dos tamoios. Anchieta escreveu quase 6.000 versos em latim na areia, decorando cada um, tal era seu amor a Maria!

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça)

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

Nono Dia

Oração inicial

Meditação

Consideremos a vida de São José de Anchieta para que sejamos devotos de verdade imitando o exemplo de suas virtudes.

Muitos índios e brancos se curaram pela intercessão de Anchieta ainda em vida.

É famoso o caso do milagre das garças. Não se sabe se no canal de Bertioga ou na Bahia ou na Baía de Guanabara, o sol queimava os passageiros de um barco, entre eles, o Pe. Anchieta. Já desmaiavam com o calor insuportável, quando passou voando sobre eles uma garça. Pe. Anchieta pediu ajuda à ave, falando com ela. Veio logo um bando delas fazendo sombra em cima da barca. E, ao final da viagem, disse-lhes: “Vão para o seu caminho”. E foram-se.

Sabemos de muitos outros milagres, como o domínio de animais ferozes, a ressurreição e o batismo de um índio, curas diversas pela água abençoada, profecia e conhecimento do interior das pessoas, flores e frutos que floresciam em suas mãos. Sem contar os momentos em que muitos viram José de Anchieta fora de si, em profunda intimidade com Deus.

Pe. Anchieta morreu em 9 de junho de 1597, em Reritiba (atual cidade de Anchieta no Espírito Santo), aldeia fundada por ele mesmo, com muita tristeza de todos: índios, portugueses e seus irmãos de ordem.
Vamos terminar com o que nos diz Pe. Armando Cardoso: “A maior lição de Anchieta não foi o latim, nem a instrução das primeiras letras, nem a língua tupi. Foi o amor, a força que vence tudo. Era a primeira lição aos irmãos seminaristas que aprendiam em latim a frase: ‘A tudo vence o amor e nós sejamos vencidos por ele!’”.

Edificados com o exemplo de santidade de São José de Anchieta, amado padroeiro de nossa paróquia e do Brasil, vamos agora confiar na sua intercessão e pedirmos as graças que queremos receber nesta novena:

(Pede-se a graça)

Tudo isso nós vos pedimos, ó Pai, pela intercessão do vosso servo fiel, São José de Anchieta, da bem-aventurada Virgem Maria, aquela que ele tanto amou na terra, e no Santíssimo Nome de Jesus Cristo, vosso filho, nosso Senhor. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória.

Oração ensinada pelo Anjo da Paz

Orações ensinadas por Nossa Senhora do Rosário

Oração final

O Centro Anchieta, iniciativa de fiéis católicos, tendo como modelo São José de Anchieta, visa promover a cultura católica nos mais variados âmbitos da vida do homem, especialmente por meio de uma sólida formação intelectual e espiritual voltada para a busca da santidade conforme a radicalidade do evangelho e a índole da Santa Igreja.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×

Carrinho